Março 8, 2021

Associação de Esgrima

Região Autónoma da Madeira

Mensagem

Ser ou não ser Esgrimista… 

Citius, Altius, Fortius… Este é o lema olímpico que marca o horizonte de muitos desportistas por todo o planeta. 

A Madeira, um ponto meio perdido no Atlântico, faz parte da família espalhada pelo globo que pratica um dos desportos olímpicos mais espectaculares: a ESGRIMA.

Desde a primeira hora, cada um dos mosqueteiros formado nos clubes da Madeira trabalha para ser mais rápido e conseguir aquele toque que paralisa o adversário, mais alto na atitude e no respeito, e mais forte para enfrentar os desafios que cada duelo representa na pista. 

Os livros falam de muitas razões pela quais a Esgrima é o desporto ideal para o desenvolvimento psicomotor dos mais novos. 

O objectivo da Associação de Esgrima da Região Autónoma da Madeira (AERAM) é formar esgrimistas para a pista mas também para a vida… A nossa proposta é que cada criança da nossa terra possa experimentar o espírito de mosqueteiro, de ser herói e cavalheiro na defesa dos seus sonhos.

Na Esgrima aprendemos a viver com a vitória e com a derrota como em nenhum outro desporto… E é por isso que o fair-play está no seu ADN.

Na Madeira é um desporto de sucesso porque já formou campeões em pista… Mas, o nosso verdadeiro sucesso é ver as lâminas cortarem o ar e o empenho de cada esgrimista para conquistar um toque, mesmo o mais difícil e até ao último segundo do duelo…

Por detrás da máscara e do fato que protege o mosqueteiro somos todos iguais. Não há sexo, nem raça nem preconceito, somos todos um esgrimista a duelar por momentos de glória…

A história mostra que há sempre duelos para enfrentar para preparar o futuro… Por isso, ser ou não ser esgrimista é a questão. Para saber a resposta só há uma forma:  experimentando. 

Presidente da Direção da AERAM

Marco Freitas

_____________________________________________________________________

Lema olímpico

(Excerto da definição no Wikipedia)

O Lema Olímpico “Citius, Altius, Fortius”, que em Latim significa “mais rápido, mais alto, mais forte”, foi criado pelo Padre Henri Didon, amigo do Barão Pierre de Coubertin, e adotado pelo Comité Olímpico Internacional (COI) em 1894. Este lema traduz a ideia de superação e luta pela excelência, inspirando os atletas a superarem-se dia após dia